quarta-feira, 29 de julho de 2009

*A Vingança de Olívia* Conto integrante da antologia do 1º Concuros literário de contos de Porto Seguro*


Mais um texto meu será publicado!Essa sensação é muito boa.É o terceiro desde comecei a participar de concursos literários no ano passado:

*************************************************


"A vingança é um prazer que dura apenas um dia; a generosidade, um sentimento que pode trazer felicidade para sempre." ( Friedrich Ruckert )
Se esse tal de Friedrich tivesse conhecido Olívia,certamente mudaria sua frase para: “A vingança é um prazer que dura vários dias e que pode ser saboreado eternamente”
Não estou falando da velha Olívia,aquela pessoa tão pacata que na maioria das vezes passava completamente despercebida onde quer que fosse.Não,a velha Olívia,nunca se aventurou ou se arriscou .A velha Olívia desconhecia a palavra “vingança”.
Desde a infância, Olívia sempre fora uma menina quieta,introvertida e de poucos amigos,mas entre eles, estava Cíntia,amizade conservada até sua vida adulta.
Olívia teve alguns namorados e como toda mulher,também teve algumas desilusões.
Estudou Administração na USP e pouco tempo depois de ter saído da Faculdade,passou em um concurso público como auxiliar administrativo.Tal estabilidade,proporcionou à Olívia uma vida confortável,sem muito luxo,mas também sem muitos problemas.Aos 28 anos,orgulhava-se de ter suas contas sempre em dia e de poder se manter sozinha num apartamento próximo à estação Sumaré.
Cíntia sempre foi visita constante no apartamento,principalmente quando as duas resolviam ir ao cinema ou à algum show na Vila Madalena.Morando do outro lado da cidade e sem ter carro,Cíntia acabava ficando com Olívia nos finais de semana.
Certo dia,quando conferia sua fatura do cartão de crédito,Olívia quase enfartou ao notar que o total de sua conta havia triplicado em relação ao último mês: Compras em lojas de grife,casas noturnas, produtos eletrônicos de última geração e aulas de Frevo????
“Cíntia,isso não é possível!Como tudo isso veio parar no meu cartão? – Perguntava indignada à amiga ao telefone
“Calma,amiga!Seu cartão deve ter sido clonado.Liga na operadora,explica o que aconteceu e já cancela o cartão” – Aconselhou a amiga.
“Sim,sim!Isso mesmo.Vou ligar e já cancelo esta porcaria!Onde já se viu!Aulas de frevo!Não vou pagar por tudo isso” – E assim que desligou o telefone,Olívia imediatamente ligou para a operadora de seu cartão de crédito:
“Como assim eu tenho que pagar?... Moça,você não está entendendo,meu cartão foi clonado...eu sei,eu sei,mas não vou pagar pelas coisas que outra pessoa está usando...Tudo bem,eu vou providenciar estes documentos e volto a ligar”
Conclusão: Para cancelar seu cartão,Olívia teria que quitar seus débitos ,entrar com um pedido de revisão da fatura e provar que não havia feito tais compras,só então ela teria seu dinheiro ressarcido após um processo que poderia levar de 30 à 45 dias .
Foi então que no auge de sua revolta,Olívia ligou para Cíntia pedindo que fosse encontra-la pois queria deixa-la a par de sua idéia.
“Olívia,isso é loucura!Você não pode fazer isso” – Disse Cíntia após ouvir o plano maluco da amiga.
“Como não?Essa mulher – suponho que seja uma mulher – está levando uma vida muito mais interessante que a minha usando meu nome.Eu tenho que conhece-la antes de cancelar o cartão.Quero ver até onde ela vai com essa mentira.Por isso vou me inscrever naquelas aulas de Frevo que ela freqüenta” – e assim,no dia seguinte,lá estava Olívia na academia de dança,ansiosa pelo que estava por vir.
“Nome,por favor?”
“Olí....O....Odete!Isso,Odete Cabral”
“Forma de pagamento?
“Dinheiro.Olha,uma amiga minha me indicou a academia só que ela esqueceu de me dizer o horário que ela fazia.Você poderia me informar?O nome dela é Olívia Palmieri”
“Que coincidência,ela faz no próximo horário,a aula começa em 15 minutos.Você já vai querer começar?”
“É mesmo!Nossa,incrível essa coincidência!Hoje só vou olhar,obrigada.
Durante os 15 minutos que se passaram,Olívia se perguntava quem seria a impostora e se conseguiria identifica-la facilmente.O que diria à ela?
Quando a aula começou,Olívia que estava sentada apenas assistindo à aula teve uma imensa vontade de gritar seu nome para ver se alguém iria responder,no entanto,não foi preciso,a falsa Olívia parecia ser a aluna mais popular da sala.Todos pareciam saber seu nome e por incrível que pareça,Olívia,agora Odete,também havia se afeiçoado à impostora.Seja qual fosse seu verdadeiro nome,a outra era uma pessoa cheia de vida,uma pessoa que esbanjava alegria,alguém que a própria Olívia gostaria de ser.Quando a aula terminou havia uma certa euforia e parecia que os alunos estavam combinando de ir até um barzinho ali perto.Olívia não se fez de rogada e logo se apresentou.Apertou a mão de sua “clone” com um sorriso no rosto e logo fora chamada para se juntar ao grupo.
Nas horas que seguiram,Olívia percebeu que nunca havia se divertido tanto.Parecia que conhecia a tal impostora há anos.Imaginava se teria coragem de desmascara-la na frente de todos.Contaram piadas,descobriram o quanto não tinham em comum e falaram de planos para o futuro.Na hora de pagar,a cara-de-pau,sem-vergonha ainda se ofereceu para pagar a conta da mesa!Com cartão de crédito clonado, obviamente.
Durante o tempo que conversaram Olívia ficou sabendo que a “clone” – como passou a chamá-la mentalmente- havia comprado uma passagem para o carnaval de Olinda naquele mesmo dia.O Carnaval começava em uma semana e durante uma semana,a “clone” tentou convencer Olívia,ou Odete,como era conhecida,a viajar com ela,tamanha “amizade” que haviam feito.Olívia disse que não poderia por conta do trabalho.
Cíntia não acreditava que Olívia não havia denunciado a impostora.Na verdade, achava que essa amizade das duas era uma loucura.Mal sabia ela que de louca Olívia não tinha nada e que a amiga já tinha um plano nas mangas e para que tal plano fosse executado,Olívia havia convencido a melhor amiga a ficar com seu cartão de crédito durante o carnaval para que ela fizesse pequenas compras em seu nome,compras de valores insignificantes.
No dia da viagem,Olívia,a verdadeira,se apresentou ao balcão da companhia aérea com bastante antecedência e alertou a polícia de que uma outra mulher tentaria embarcar usando seu nome.
Algum tempo depois,lá estava ela,a “clone”.Olívia nunca se esquecerá da expressão de felicidade ao ver a nova ex-amiga no aeroporto e ainda mais inesquecível era a expressão de desespero e decepção ao perceber que havia sido desmascarada.
Olívia embarcou no avião com a imagem da “clone” sendo levada pelos policiais.Não sentiu remorso.Sentia que havia ficado mais esperta depois dessa experiência .
Quando voltou de Olinda,era outra pessoa.Pensou até em agradecer à Ivone - verdadeiro nome da impostora – pelo melhor carnaval de sua vida: Arranjou até um namorado!
E quando então a nova fatura do cartão de crédito chegou,com compras efetuadas em em São Paulo no período em que estava me Pernambuco,Olívia entrou com o processo de ressarcimento junto à operadora do cartão de crédito ,informou sobre a prisão de Ivone e conseguiu seu dinheiro de volta.Essa foi a melhor vingança que poderia ter: Aproveitar a vida ao máximo,namorar muito e viajar sempre que possível.Esta é a nova Olívia.

2 comentários:

simone disse...

Você escreve muito bem, continue e não desanime. Foram muitos inscritos na Via. Parabéns por estar lá! Ao lado, inclusive, de pessoas muito experientes em concursos.

Dani Marino disse...

Muito Obrigada pela força,Simone!